Quem somos nós? Entrevista com Dan Ramos do Blog Paragons

Seja bem vindo a nossa quarta edição do “Quem somos nós?”! Hoje nosso entrevistado é o paragônico de João Pessoa, Dan Ramos, atualmente no Blog Paragons que também mantém um blog pessoal de contos com sua noiva, o Dois Contos.

A idéia da série de entrevistas surgiu com a intenção de esclarecer aos leitores da blogosfera rpgística um pouco sobre quem são os atuais blogueiros rpgistas. A proposta tem como finalidade oferecer aos leitores um pouco do histórico, passado e objetivos daqueles que estão atualmente trabalhando e incentivando o Rpg Nacional através da internerd. Confira no final do post os links para as demais entrevistas realizadas aqui no blog.

O Adrenalina RPG agradece a participação do nosso Entrevistado da semana. Deixando claro, que o Entrevistado tem todo direito de responder ou não às perguntas selecionadas.


QUEM SOMOS NÓS?

dan

Nome: Daniel Ramos Santos.

Idade: 25.

Profissão: Ilustrador e diretor de arte publicitário

RPG Favorito: Dungeons & Dragons 3.5.

Por que começou a blogar?
Porque escrevia comentários muito grandes em comentários de blogs e fóruns rs. Mentira, é que eu tinha um site sobre 3D&T há alguns anos (Página dos Defensores), mas acabei deixando pra lá por causas pessoais, embora continuasse acompanhando de longe sites e fóruns. Ano passado, comecei a escrever contos de coisas que aconteciam nos meus jogos e o pessoal sempre queria ler, então criei um blog chamado Pensotopia pra disponibilizar tudo. Alguns comentários vinham de gente das listas de discussão, daí reencontrei gente da época da PdD e me bateu a vontade de entrar para a até então pequena blogosfera de RPG.

Qual foi sua primeira experiência com o rpg?
Lá pelos idos de 1995, na minha quinta série, todo mundo fingia ser um Cavaleiro do Zodíaco. Um amigo nosso, que era mais velho, viu nosso “potencial” e apareceu com a caixa vermelha do D&D. Como eu era viciadão em Golden Axe, Conan e fantasia medieval em geral, fui o primeiro a fazer um personagem, o crássico guerreiro humano chamado William Baltmore. Daí então foi só alegria!

Qual o significado de rpg para você, hobby ou algo mais?
Rapaz, é meu hobby predileto. Muitos fissurados por coisas como aeromodelismo elevam seu hobby a um nível profissional, então assim estou dando meus primeiros passos em ganhar grana com RPG mas não deixo de me divertir todas as tardes de sábado, afinal é barato e saudável (exceto se a gente exagera na Coca-Cola!).

Supondo que você não conheça o rpg, acredita que algo mudaria em sua vida?

Acho difícil que eu não conhecesse o RPG, dado o ambiente que cresci e vivo (cinema, publicidade, leitura, games…). Mas vamos lá simular. Acho que mudaria alguma coisa sim: talvez não tivesse conhecido minha noiva (Elisa, do Paragons) no clube de RPG que não fundaria no ensino médio, bem como muitos bons amigos. Talvez não tivesse melhorado o inglês, ou adquirido o hábito por leitura. O RPG não “mudou minha vida”, mas com certeza ajudou que ela seguisse caminhos agradáveis.

Você prática outro hobby ou esporte?
Hum… Leitura, quadrinhos, cinema. Coleciono uma porção de coisas, mas sem ser compulsivo. E esporte, bem, corro atrás de ônibus e vou retomar a natação urgente… =D

Downloads de livros, conhecido popularmente como pirataria, qual seu ponto de vista sobre este importante assunto?
Assunto complicadíssimo. É uma contravenção que quase todo mundo comete, por mais que se tente disfarçar ou justificar, e de certa forma um problema meio impossível de resolver. Como é tudo muito caro e hoje vivemos bombardeados de informações, é impossível ter tudo original, de programas de computador a livros de RPG. No nosso caso é pior ainda, porque muito pouco chega aqui no Brasil e importar ainda é um conceito absurdo para a maioria da população. Assim, as indústrias vão tendo que se moldar a esse “modelo forçado de mercado” ou tentar combater a pirataria – sei que a lei anti-pirataria foi aprovada na França, mas não sei se vai ser forte o bastante, não. No caso do mercado do RPG, acho que dá pra driblar a pirataria fazendo como o Pathfinder e o 3D&T Alpha, já que muita gente prefere testar antes de comprar.

Um blog pequeno que acompanha e acredita no potencial dele?
Olha, vou citar o Adrenalina RPG (acompanho, azar de quem acha que é rapapé), mas também o Dados Limpos do Phill, um dos mais antigos blogs. É um site muito divertido sem ser impessoal, e agora que ele está se focando mais no humor, está sensacional.

No último ano a blogosfera rpgística obteve um aumento significativo, qual sua opinião sobre este assunto?
Acredito que o encontro entre os blogueiros no último EIRPG e a criação da lista Blogs de RPG impulsionou bastante a blogosfera. Desde então os blogs começaram a se ajudar e citar cada vez mais a lista e os outros blogs. Daí com esse clima de união e o crescimento natural da internet, muita gente resolveu participar do movimento, algumas pessoas que nunca escreveram foram convidadas a participar de blogs coletivos, muitos resolveram ter suas próprias iniciativas com os lançamentos mais novos de RPG e assim a coisa aconteceu.

Acredita que falta algo para a atual blogosfera rpgística?
Nada muito sensível que me lembre, e de qualquer modo os blogs sempre melhoram, crescem e aprendem uns com os outros.

  • Agora, vamos falar um pouco sobre o blog Paragons.

Como membro do Paragons, blog nacional que tornou-se bastante popular, como surgiu a oportunidade de participar deste blog comunitário?
Na verdade a ideia é minha e do meu amigo Mr. Pop. Como a gente sempre criava coisas e se ajudava, propus a ele que nos juntássemos em um novo blog, que funcionasse bem e aliasse os nossos pontos fortes. Daí, chamamos mais dois amigos pra participar, o Shingo e o Rey, e eles acreditaram no projeto.

Existe alguma novidade, mudança, reforma ou algo que gostaria de dizer sobre o Paragons?
Estamos sempre nos reformando e queimando a mufa pra criar coisas novas. Por agora, posso dizer que estamos a todo vapor viabilizando a PRGStore, onde inicialmente vamos trazer camisetas com estampas nerds e de RPG muito bacanas. Estamos arrumando o PRGRadio #1 seguindo as sugestões do pessoal, e deve ficar bem melhor, e se tudo der certo teremos uma promoção gigante no fim do ano.

Sobre o sistema da 4ª Edição de D&D. O que você considera como os defeitos e qualidades neste polêmico sistema ?
Bom, como muita gente, no começo torcia o nariz só de ver as coisas novas, mas depois formei a seguinte opinião: a 4E assumiu totalmente o manto de D&D, organizou muita bobagem que sobrevivia por nostalgia e agregou conceitos que foram decisivos para trazer gente nova de todo tipo para o jogo, e como ela realmente está aumentando a quantidade de jogadores, é ótimo. Me diverti muito jogando, e vejo com bons olhos a maioria das mudanças, dos Poderes aos fantásticos Desafios de Perícia e aos monstros com ficha diferente (como era antigamente). Mas quando tentei mestrar (com a aventura do Pendor das Sombras), não gostei da experiência e notei que se fosse mesmo me tornar um DM da 4E, teria que fazer como fiz com a 3E e alterar tudo que não combina com meu estilo de jogo. Então decidi que um trabalho e um gasto de grana, esforço e tempo desnecessário, então preferi investir na linha storytelling para quando quiser narrar algo diferente.

O que você mudaria no atual mercado nacional de RPG ?
Com certeza poria na cabeça desse povo que propaganda é, de fato, a alma do negócio. O mercado de RPG brasileiro investe pouco demais nisso – e nem adianta dizer que é caro, porque o que mais tem hoje no mundo é publicidade em mídias baratas ou gratuitas. A Wizards, por exemplo, sempre tem uma página de propaganda no final de seus livros. Temos a magnânima internet. Temos eventos. Enfim, é preciso acordar. A Devir, por exemplo, agora está correndo atrás do prejuízo, mas por muito tempo ficou no limbo.

Segundo sua opinião, o que é indispensável para ser um bom jogador, mestre e grupo?
A mesma coisa que para qualquer relacionamento dar certo (sem sacanagem!): entrosamento e confiança. É muito bom que o grupo se entrose e esteja todo mundo satisfeito com a proposta do que se vai jogar. É necessário que os jogadores possam confiar cegamente no Mestre, e vice-versa. Claro, ninguém é de ferro e a gente sempre se diverte tirando sarro da robalheira do DM, e da safadeza dos players, mas na hora do pega-pra-capar, o bom funcionamento do grupo é a chave para o jogo fluir.

Qual é a sua experiência com eventos de Rpg, sejam eventos de sua cidade ou EIRPG ?

Como a cidade é relativamente pequena, sempre organizamos eventos meio entre amigos, de modo que sempre ajudei aqui ou ali. Infelizmente graças a motivos pessoais do idealizador, o maior evento de RPG do Nordeste que acontecia aqui, o RPG&Cultura, não acontece mais, mas temos aqui um evento pequeno de quadrinhos e nerdices que engloba RPG, o HQPB (Elisa já resenhou no Paragons o 3º encontro), em que me orgulhei de ter ajudado bastante, e devo estar bem mais presente nos próximos (a meta é de dois ou três por ano).

  • Vamos para as rápidinhas!

Um ídolo?

Bernard Cornwell.

Um filme?
Pulp Fiction.

Um game?

Super Mario 64.

Um objetivo?
Dominar o mundo!

Uma música?
Queens of the Stone Age – The Lost Art of Keeping a Secret.

Um Rpg?
D&D.

Algum blogueiro que gostaria de entrevistar e o que perguntaria para ele?
Perguntaria ao Marlon, do Inominattus, se ele um dia vai terminar o Enigma das Arcas!

  • Obrigado e o Adrenalina RPG deseja Boa Sorte!
Anúncios

10 comentários sobre “Quem somos nós? Entrevista com Dan Ramos do Blog Paragons

  1. Pingback: Twitter Trackbacks for Quem somos nós? Entrevista com Dan Ramos do Blog Paragons « Adrenalina Rpg – No Mercy! [adrenalinarpg.wordpress.com] on Topsy.com

  2. Discordo da parte da pirataria. Baixar livros não é pirataria. Disponibilizar conteúdo sem pagar direitos autorais sim é pirataria.
    CARACA o bixo jah usava william baltimore antes do cefet hAIHUAiuhAIUHaiuhAIHaiuhAHU
    No mais: boa entrevista! coloca mais rpg na cabeça do povo ae =D

  3. Bom Azuil, o problema é que nem eu nem você fazemos as leis, então pra quem importa estamos cometendo sim crimes, e podemos, caso as leis anti-pirataria malucas do futuro pegarem, pagar por isso ou ao menos nos incomodar. =/

  4. Meu lindão matou à pau. Adorei a entrevista. Só esqueceu de dizer que a mulher ser alérgica a 4ed contribui para que você não queira adotá-la também.

    Muito boa a iniciativa das entrevistas. Muito legal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s