Conceito: Ninjas – Parte 01

Em uma conversa com um conhecido, ele procurava por conselhos para suas aventuras e em tal momento apontou que havia um Ninja e um Samurai dentre os personagens dos jogadores, mencionei que através de ambas as classes poderiam criar boas oportunidades para a interpretação em suas aventuras. No entanto, no decorrer da conversa percebi, claramente, a falta de conhecimento por parte do rapaz, principalmente, no que diz respeito ao conceito e interpretação das classes, decidi então pesquisar um pouco sobre Ninjas para desenvolver um artigo para os inúmeros fãs.

O artigo será dividido em duas ou três partes, mantendo várias referências históricas que obtive durante minhas pesquisas, tanto na web quanto em livros. Creio que uma outra visão um pouco mais detalhada, ainda que abrangente, sobre o mito dos Ninjas poderá ser capaz de oferecer verossimilhança, qualidade e profundidade para suas campanhas e tornar estes personagem figuras notáveis.

Ninjutsu

Ninjutsu é uma arte marcial japonesa com raízes que datam mais de mil anos atrás. Existiam no Japão, muitas escolas e famílias de ninjutsu, mas durante a era de paz civil no Japão, não eram mais necessários os serviços dos ninjas, mesmo quando eram capazes de realizarem funções diferentes, houve épocas em que eram guerrilheiros, terroristas, assassinos e em outras épocas eram agentes secretos do governo japonês, instrutores de polícia e assim por diante. A arte secreta foi desenvolvida como um sistema de combate com a devida importância em um estado psicológico e uma saúde mental boa. Existiam muitos clãs diferentes de ninjas, cada qual com seu próprio estilos, sendo que os verdadeiros guerreiros da escuridão começaram a desenvolver sua maneira de sobrevivência, auto-defesa, táticas marciais com armas, camuflagem, espionagem e guerrilhas, que mais tarde passaram a ser conhecidas como ninjutsu.

História

Durante a longa guerra civil que durou até o fim do século XVI, algumas famílias que habitavam as regiões montanhosas na região de Honshu, eram impedidas de portar espadas ou armas, então desenvolveram técnicas marciais para se proteger e foram forçados a praticar seus conhecimentos ninjas em segredo, nas montanhas e florestas.

Como em qualquer sociedade, havia crápulas entre os ninjas, que não tinham o menor pudor em utilizar os conhecimentos adquiridos para fins nada honoráveis, como matadores de aluguéis. Diante disso o ninja evoluiu de guerreiro das montanhas para guerreiros da noite e começaram a ocupar parte na história do Japão, pois muitos senhores feudais contratavam os serviços desses ninjas, que eram exceções, para realizarem assassinatos e atuar como espiões. Esses ninjas eram samurais, pois serviam a um daimyo, com a diferença de não seguirem o bushido, mais sim, seu próprio código de conduta. Não se importavam em realizar suas missões de maneira desleal, já que sua imagem não era afetada, pois além de atuarem de noite, daí o nome – o guerreiro da escuridão – usavam uma máscara que mantinham sua identidade em sigilo.

Naquela época, os “ninjas do bem” dirigiam suas atividades à família e aos objetivos da comunidade que pertenciam. Mas como as injustiças eram muitas no passado, os ninjas viviam às voltas em inúmeras batalhas. Apesar de poder ensinar sua arte marcial e algumas técnicas de combate aos interessados em geral, o ninja só repassa todo o seu conhecimento a um herdeiro determinado e de uma maneira muito especial. Com um agravante extra: o ninja não tem liberdade para escolher este herdeiro. O encontro deve ocorrer de forma natural ou, para os leigos, sobrenatural. É algo inexplicável, transcedental a matéria, é preciso uma afinidade muito grande entre aluno e discípulo, que ira acontecer naturalmente.

Apesar de não serem guerreiras, as famílias ninjas eram constantemente repudiadas pela sociedade feudal,submetidas a taxas de impostos injustas e perseguição religiosa. O ninja aprendeu a agir com mais eficácia por defesa próprio, usavam conhecimento superior das forças da natureza e das técnicas militares herdadas ao longo dos anos com armas contra o exército do governo. Porém muitas de suas táticas eram consideradas covardes, como atacar o inimigo sem lhe dar chance de defesa, na verdade, apenas usavam o bom senso contra adversários mais poderosos.

Os Ninjas

Os ninjas sempre foram espiritualistas, meio ecológicos. As primeiras famílias que habitavam as montanhas viviam em perfeita comunhão com a natureza, jamais contrariavam suas leis Entre um combate e outro, os ninjas aprenderam a utilizar plantas e ervas como remédios. Uma das principais influências espirituais dos ninjas foi Shinto,“o caminho do kami”, sendo Kami a palavra japonesa para Deus. Mas a filosofia implica em um sentimento mais voltado para uma força sagrada do que para um ser superior, tal como foi outra forte influência dos ninjas, o método Mikkyo de expandir a força interior ou o Ki, baseado no uso de palavras e símbolos secretos para concentrar a energia e as intenções em objetivos específicos.

Os ninjas também foram influenciados por um grupo de nome Shugenja que morava nas montanhas, em um método que consistia em submeter-se aos obstáculos da natureza para extrair força da própria terra, sendo incorreto, entretanto, afirmar que esses métodos faziam parte das raízes do ninjutsu, que trata-se apenas de uma filosofia separada e um modo de vida que não surgiu da noite para o dia. Ninjutsu é freqüentemente traduzido como arte do desaparecimento, mas o kanji “NIN” tem muitos outros significados, tais como perseverança, resistência e principalmente tolerância, que é o mais importante preceito do ninja. O sucesso dos ninjas nos combates se devia também a uma boa preparação e ao sistema perfeito de dissimulação, até mesmo dentro dos clãs. Não por acaso só ninjas desenvolveram um sistema de combate e espionagem que lhes renderam uma boa reputação como guerreiros.

O código do samurai, o bushido, deriva de uma série de princípios gerais para guerreiros, que se transformou numa disciplina formal. A filosofia ninja, embora contendo alguns valores similares, evoluiu através de outra trilha cultural. Quando uma casa ninja era atacada por exemplo, seus moradores “desapareciam” por passagens secretas nunca descobertas. Os oponentes, desconhecendo os ninjas, não compreendiam sua estratégia e divulgavam a lenda de que eles eram mágicos – sem ao menos perceber, que muitas vezes a derrota não era causada por um forte guerreiro, mas sim por uma delicada porém ardilosa mulher.

Kunoichi

As mulheres aliás, sempre fizeram parte do mundo ninja, recebendo a denominação especial de kunoichi. Mas apenas seus engajados integrantes sabiam que por trás da máscara de um kunoichi estava uma mulher. Mais do que guerreiras, as ninjas eram sensuais e sabiam se aproveitar dessa peculiaridade para seduzir e, na seqüência, aniquilar os inimigos. Elas se davam ao luxo de ter até uniforme exclusivo que estrategicamente, deixavam sua lindas pernas à mostra, conhecidas por sua enorme competência e por quase sempre conseguirem cumprir seus objetivos.

Anúncios

7 comentários sobre “Conceito: Ninjas – Parte 01

  1. “datam mais de mil anos atrás.” Nossa! E eu que pensei que eram mil anos pra frente!!!
    “Esses ninjas eram samurais” Putzzzz.
    “Os ninjas sempre foram espiritualistas, meio ecológicos. ” Greepeace Shinobis!
    “ninjas do bem” Que lindo :]

    Amigão, desculpa mas não ficou bom, escreve outra vez e decide se tu vai usar fonte histórica ou ou L5R, RPG, games, cinema e Naruto. Não mistura as coisas.
    Descarta também as fontes wikipedia em português.

    Faltou falar dos clans de Iga, Koga, dos Yamabushi, da influência do livro de Sun Tzu, dos estrangeiros foragidos…
    Traduz isto que vai ser melhor:
    http://en.wikipedia.org/wiki/Ninja

    • Tenho minhas dúvidas se você realmente leu todo o texto, especialmente os dois primeiros parágrafos.

      Contudo, aceito sua crítica, embora seja desnecessariamente enfadonha. Espero que a continuação atenda suas expectativas. Vlw pela visita e comentários,

    • realmente, a Wikipedia em inglês é bem mais confiável que a em portugues. Vamos esquecer os livros hisótircos e usar a Wikipedia em inglês como referência sempre.

      OBS: Foi ironia.

      Sugiro você ler o texto de novo e esperar a parte 2 para reclamar que está faltando alguma coisa.

      PS: Bom post ^^

  2. Como eu nunca pesquisei sobre o assunto não sei dizer o que está correto ou não. Porém por pesquisar muito sobre os Samurais, eu preciso dizer que afirmar que o Ninja é um Samurai é algo muito equivocado!

    Primeiro porque os Samurai eram uma casta dentro da sociedade japonesa. Eram nobres e guerreiros ao mesmo tempo! Totalmente diferente dos Ninja.

    Se você quis dizer que eles eram semelhantes por servir a um Sr. Feudal, ainda assim é um equívoco. Porque a servidão que o Samurai tinha para com o Sr. Feudal, era algo tão intenso que quando ele falhava em sua missão deveria cometer o suicídio ou viver sem honra como um Ronin (que era praticamente lixo).

    Os Ninja eram assassinos furtivos e espiões, não sei se sua atitude de servidão era tão profunda quanto a do Samurai. E com certeza não eram nada honrados. Visto que após o desarmamento e extinção da classe dos Samurais, todo aquele que portasse armas era considerado um criminoso sem honra. Então provavelmente os Ninja não eram nada admirados, pelo menos abertamente.

    No mais o artigo está bem escrito e preciso pesquisar sobre os Ninja para poder criticar. E utilizei os termos Samurai e Ninja sempre no singular por não existir plural dessas palavras no original. No entanto quando trazidas para o português é permitido utilizá-las no plural, coisa que eu não sou tão fã de fazer.

  3. Olha, pelo que entendi, o autor procurou criar um background para JOGAR RPG com ninjas, que podem até ser embasados historicamente, mas dificilmente vai ser divertido jogar com ninjas tendo os dois pés plantados na realidade concreta (e chatíssima). Assim como James Bond é divertido, não há (ou houve) espião que tivesse uma vida como aquela, dando tiros a torto e a direito, pegando mulheres gostosíssimas e rodando por aí em carros esportivos luxuosos recheados da mais avançada artilharia concebível (e não concebível). Mas é muito mais divertido assim.

    Ah, e Chuck, criticar os outros é bom e salutar, orientar os ignorantes no caminho da sabedoria é notável, mas para tanto é preciso a) saber sobre o assunto e b) saber como FALAR com outros seres humanos, de forma a transmitir melhor o conteúdo de sua sabedoria extensa e profunda.

  4. Pedras Roubado,
    Desculpa, mas eu sou muito estúpido mesmo, não vou negar!
    Bom, mas aposto que o assunto shinobi deve ser polêmico até pra historiador japonês.
    Mas como vc disse, se o foco da matéria for um ninja pra rpg “icônico” sem compromisso com a história, acho que o autor consegue começar a escrever a segunda parte do texto!
    Mas sinceramente, sem maldade, eu acho melhor apagar esse e começar de novo.
    Acho que podia até dividir em 3 textos diferentes: Ninja histórico, Ninja Icônico e tal do ninja pra rpg.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s