De Mestre para Mestre #3 – Cristiano Lagame (Spell RPG)

Terceira edição da coluna de Mestre para Mestre, uma série de entrevistas com narradores experientes, buscando compartilhar ideias e contribuir para a formação de novos mestres, além de auxiliar os mais inexperientes e novatos.

Se você é um mestre inexperiente ou iniciante, aproveite está oportunidade para sanar suas dúvidas, através dos comentários. Você, mestre experiente, que deseja contribuir com a coluna, comente também sobre suas experiências e contribua no desenvolvimento de novos narradores. Além disso, aceitamos sugestões para aperfeiçoar e aprimorar a coluna.

De Mestre para Mestre #3

counseling

Por favor, faça uma breve apresentação:
Me chamo Cristiano Lagame, tenho 34 anos, sou Analista de Sistemas, moro no Rio de Janeiro, no bairro Jardim Botânico e sou um RPGista inveterado, noivo da Bianca, também RPGista. Sou administrador do site Spell RPG, e de alguns grupos de RPG no Facebook.

Quanto tempo você mestra e como começou?
Eu narro RPG desde meus 17 anos de idade, comecei trazendo iniciantes para o hobbie, a primeira vez foi no RPG RIO em 1996.

Qual é o seu estilo de jogo, como Mestre?
Eu prefiro uma aventura mais longa, ou seja, prefiro mestrar Campanhas. E sempre iniciando com personagens bem inexperientes, até alcançarem com os anos mais experiência. Em geral minhas campanhas duram 1 a 3 anos. Evito matar personagens, mas quando os jogadores vacilam feio, não tenho pena. Já perdi jogadores por causa disso, mas não me arrependo.

Quais são as melhores habilidades de um Mestre?
Persuasão, Interpretação, Criatividade, Sagacidade, Comprometimento, e Versatilidade.

Quais são os seus maiores obstáculos narrando e o que faz para corrigir isso?
São vários, mas o que mais me incomoda é minha falta de organização, não consigo escrever ao mesmo tempo que narro, então muitas vezes esqueço o nome de uma taverna, ou de um dono de algum estabelecimento.

Qual o local e ambiente ideal para realizar uma sessão de RPG?
Na minha casa, ou na casa de alguns dos jogadores que moram próximos. Não gosto de jogar em Shoppings ou locais abertos, nem recomendo para campanhas de longa duração.

Como você organiza as suas sessões de RPG?
Passo geralmente uma semana antes do jogo lendo sobre o assunto para ter mais ideias, e separo algumas imagens, mapas, fichas de NPCs e de monstros, mas muita coisa invento na hora, de acordo com o andamento do jogo. Tento evitar durante o jogo que a sessão fique muito tempo parada apenas com um jogador, ou apenas num único combate.

Qual o seu processo de pesquisa e planejamento para desenvolver uma história e aplicá-la em jogo?
Já expliquei acima, mas basicamente pesquiso bastante na internet e leio alguns livros por ano, ao menos uns 6. Amo a leitura, e se tivesse mais tempo, leria mais. Ajuda muito.

Quais são os temas recorrentes em seus jogos e como faz para usá-los?
Uso muito do terror, mas é complicado usar isso a todo momento. Comédia há sim, mas evito porque pode tornar o jogo muito pastelão, e não gosto. Investigação acontece a medida que eles mesmo comecem a ficar intrigados com coisas estranhas que aconteçam durante o jogo, e naquele momento não parecem ter explicação.

Como manter os jogadores focados no jogo?
O foco vem a partir do momento que você consegue uma boa história, se a história do jogo não for interessante, rapidamente os jogadores ficam desinteressados, e quando eles por algum motivo alheio a isso comece a interferir na atenção dele, como celulares, conversas paralelas, eu logo corto isso.

Quais são as principais qualidades de um jogador e como explorá-las a favor do jogo?
As melhores qualidades dos jogadores são:
– Inteligência: Quando o jogador é inteligente, tudo é mais fácil para o mestre.
– Proatividade: Quando o jogador se dispõe a ajudar o narrador a construir uma história interessante, e a colaborar com os outros jogadores, essa atitude é muito interessante para o Narrador.
– Sinceridade: Quando o jogador é sincero e não fica tentando perverter as regras, ou roubar em rolagens de dados, ou mesmo em falar para o Narrador que algo não está legal na Narrativa, essa é uma das mais interessantes qualidades.

Quais ferramentas ou acessórios você usa, e como eles são capazes de auxiliar mestres?
Muitos dados, pois a maioria dos jogadores não carregam seus próprios dados. Miniaturas também, muitas de preferência. Mapas e mais mapas, Tiles, música temática, e uma boa mesa. Além de livros, muitos livros.

Quais são suas principais referências, além do RPG?
Basicamente filmes, livros e seriados, e são tantos que nem me atrevo a referir aqui…

Na sua visão de Mestre, descreva uma sessão de RPG perfeita?
É aquela na qual todos se divertiram. Não importa se alcançaram um objetivo na aventura ou não.

Um conselho essencial para um mestre inexperiente?
Leia bastante, e não seja prepotente. Ser um mestre de RPG não é um título ou um cargo, é apenas um auxiliador dos jogadores para que todos se divirtam por algumas horas, inclusive você. Se você não está se divertindo, há algo errado, se eles não estão se divertindo, há muito errado, se ninguém está se divertindo, há algo muito errado.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s