De Mestre para Mestre #5 – Gabriela Viu

Quinta edição da coluna de Mestre para Mestre, uma série de entrevistas com narradores experientes, buscando compartilhar ideias e contribuir para a formação de novos mestres, além de auxiliar os mais inexperientes e novatos.

Se você é um mestre inexperiente ou iniciante, aproveite está oportunidade para sanar suas dúvidas, através dos comentários. Você, mestre experiente, que deseja contribuir com a coluna, comente também sobre suas experiências e contribua no desenvolvimento de novos narradores. Além disso, aceitamos sugestões para aperfeiçoar e aprimorar a coluna.

De Mestre para Mestre #5

counseling

Por favor, faça uma breve apresentação:
Meu nome é Gabriela Viu, tenho 32 anos, sempre morei em São Paulo (capital) e sou Engenheira Civil.

Quanto tempo você mestra e como começou?
Mestro há 20 anos. Comecei em 1994, quando comprei o Tagmar em uma bienal do livro. Na época eu não falava inglês e esse era o único RPG em português. Como o livro era meu, pareceu natural que eu mestrasse. De lá pra cá, nunca mais parei, e hoje me considero muito mais mestre do que jogadora.

Qual é o seu estilo de jogo, como Mestre?
Gosto que saia uma boa história da mesa, nem que para isso tenha que quebrar as regras de vez em quando. Coloco bastante poder de alterar a história na mão dos jogadores por que gosto de ser surpreendida também.

Quais são as melhores habilidades de um Mestre?
Conhecer seus jogadores, saber que tipo de jogo cada um deles gosta e ser capaz de fornecer esse jogo, sem comprometer sua própria diversão.

Quais são os seus maiores obstáculos narrando e o que faz para corrigir isso?
Quando o povo dispersa e não parece estar interessado na história é muito difícil pescar de volta a atenção deles. Às vezes rola uma insegurança e timidez. Acho que para isso a melhor coisa é o que falei acima: saber o que cada jogador espera de uma boa aventura e dar isso pra eles.

Qual o local e ambiente ideal para realizar uma sessão de RPG?
O local que seja mais perto da casa de cada jogador, para não haver desculpas para o jogador faltar, heheh.
Em termos de ambiente, eu não gosto de jogar em lugares públicos ou com pessoas que não participam da mesa em volta (tipo a mãe assistindo novela logo do lado), mas às vezes não tem jeito e a gente joga onde der. Gosto de ambientes fechados por que aí dá para por música, criar um clima…

Como você organiza as suas sessões de RPG?
Organizar sessões? Isso existe?
Sou uma mestre bastante improvisadora, e as minhas sessões são uma zona.

Qual o seu processo de pesquisa e planejamento para desenvolver uma história e aplicá-la em jogo?
Não tenho um processo definido, mas gosto de ter um cenário com um problema e jogar os personagens no meio deles. O que eles fazem a partir daí nem eu mesma sei, e descobrir faz parte da minha diversão também.

Quais são os temas recorrentes em seus jogos e como faz para usá-los?
Depende muito dos jogadores. Se o jogador gosta de romance, eu ponho romance. Se ele gosta de ação, ponho ação, se gosta de comédia, ponho comédia… E por aí vai.

Como manter os jogadores focados no jogo?
Essa é a grande pergunta da um milhão de dólares. Se um dia você descobrir, me conta?

Quais são as principais qualidades de um jogador e como explorá-las a favor do jogo?
Ser criativo e saber interagir com os outros da mesa. A criação da história é um esforço coletivo mestre-jogador e jogador-jogador. O cara que sabe quando criar, quando passar a vez para o colega brilhar, quando dar ganchos para o mestre usar, e quando ficar quieto, é o jogador perfeito.

Quais ferramentas ou acessórios você usa, e como eles são capazes de auxiliar mestres?
Eu gosto de usar música para dar clima, e do escudo de mestre para esconder rolagens. Se os jogadores estiverem querendo uma coisa mais tática, uso battlemat (grid, tabuleiro, terrenos) e miniaturas, mas não sou muito fã. Em campanhas, entre uma história e outra, mando fotos, músicas e textos extras para os jogadores, assim eles entram mais no clima do cenário.

Quais são suas principais referências, além do RPG?
Livros, Filmes, HQs, Música. Uma ideia boa pra uma aventura pode vir de qualquer lugar, procuro estar sempre “atenta”.

Na sua visão de Mestre, descreva uma sessão de RPG perfeita?
Aquela que os jogadores se mantêm focados e atentos, tensos, preocupados pelos seus personagens e boquiabertos, pensando “não acredito que isso está acontecendo!”

Um conselho essencial para um mestre inexperiente?
Você não é um mestre ruim. É apenas inexperiente, e isso só se resolve mestrando. Continue mestrando, mestre muito. Perceba as coisas que seus jogadores gostam e reforce. Perceba as que eles não gostam e remova.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s