De Mestre para Mestre #14 – Wildson Garcia

Décima quarta edição da coluna de Mestre para Mestre, uma série de entrevistas com narradores experientes, buscando compartilhar ideias e contribuir para a formação de novos mestres, além de auxiliar os mais inexperientes e novatos.

Se você é um mestre inexperiente ou iniciante, aproveite está oportunidade para sanar suas dúvidas, através dos comentários. Você, mestre experiente, que deseja contribuir com a coluna, comente também sobre suas experiências e contribua no desenvolvimento de novos narradores. Além disso, aceitamos sugestões para aperfeiçoar e aprimorar a coluna.

De Mestre para Mestre #14

counseling

Por favor, faça uma breve apresentação:

Bom, sou Wildson Garcia de Oliveira, mas meus amigos me conhecem mais por Garcia, tenho 43 anos, sou projetista de stands, carioca que veio morar em São Caetano do Sul – SP, jogo RPG a pelo menos uns 20/25 anos. Comecei jogando com amigos e familiares a famosa caixa vermelha que um amigo trouxe de fora, naquela época só era possível jogar assim, trazendo o material todo de fora, ou então criando nossas próprias aventuras, com o tempo fomos conseguindo material com mais facilidade, a famosa geração xérox, hoje estou mestrando D&D 3.5 e adaptando as aventuras dessa época.

Quanto tempo você mestra e como começou?

Devo ter mais ou menos uns 8 ou 9 anos que comecei a “estudar” formas de mestrar, e depois de uma parada de uns 3 ou 4 anos sem jogar, resolvi por em prática tudo o que aprendi nesses anos como jogador.

Qual é o seu estilo de jogo, como Mestre?

Sou um tipo de mestre atípico, dou mais ênfase nas ações dos personagens do que em combates, gosto que os jogadores ou personagens pensem no que estão ou o que vão fazer. Tenho sempre em mente a terceira lei de Newton – Lei da ação e reação “A toda a ação opõe sempre uma igual reação. Isto é, as ações são sempre iguais e opostas.” Com isso o grupo se mantêm coeso e sempre interagindo um com o outro.

Quais são as melhores habilidades de um Mestre?

Saber manter a atenção do grupo, ser divertido, motivar seus jogadores e acima de tudo proporcionar a melhor diversão possível.

Quais são os seus maiores obstáculos narrando e o que faz para corrigir isso?

A falta de materiais que ajuda na narrativa, gosto de tentar trazer exemplos de cenas de filmes para a narrativa, costumo ser muito detalhista nas descrições dos locais, dos NPCs, e fico um pouco frustrado quando não tenho isso à mão.

Qual o local e ambiente ideal para realizar uma sessão de RPG?

Eu prefiro que seja em um local onde não iniba a interpretação, não sou muito fã de locais públicos, principalmente porque há restrições de horários, prefiro ter hora para começar e não ter hora para acabar, mas sei que mesmo sendo na casa de alguém o horário para o término sempre vai existir.

Como você organiza as suas sessões de RPG?

Deixo tudo à mão, para na hora que precisar não ter que ficar procurando e perder o clima da cena.

Qual o seu processo de pesquisa e planejamento para desenvolver uma história e aplicá-la em jogo?

Procuro ler bastante sobre cada classe, raça, divindade de cada personagem, peço sempre que façam um histórico para que eu possa ter uma ideia da personalidade, características e fatos de cada um, e busco referências no “MUNDO REAL”, para ter uma boa base na hora de desenvolver uma história, e com isso fica fácil aplicar em jogo

Quais são os temas recorrentes em seus jogos e como faz para usá-los?

Isso depende do grupo, é impossível usar um tema só, cada situação é diferente uma da outra, há momentos onde um pouco de comédia cai bem, em outros um pouco de suspense, mas como regra minha, meus NPCs tem uma boa veia cômica.

Como manter os jogadores focados no jogo?

Eu uso o método DDD – Diversão, Diversão, Diversão, se a sessão não for divertida, não tem como prender a atenção.

Quais são as principais qualidades de um jogador e como explorá-las a favor do jogo?

Acho que a capacidade de pensar e agir em grupo, como disse, eu gosto muito mais quando tenho uma sessão onde os jogadores comentam como conseguiram sair de uma certa situação usando o trabalho em equipe com diplomacia do que um grupo que fica se vangloriando das criaturas que conseguiu derrotar.

Quais ferramentas ou acessórios você usa, e como eles são capazes de auxiliar mestres?

Como disse, preso muito a interatividade, então tento fazer uso de mapas, imagens, miniaturas, materiais de apoio como pergaminhos, cartas com selos de cera, etc…

Quais são suas principais referências, além do RPG?

Quadrinhos, cinema, livros e internet

Na sua visão de Mestre, descreva uma sessão de RPG perfeita?

Uma que tenha começo, meio e fim, com todos se divertindo.

Um conselho essencial para um mestre inexperiente?

Procure conhecer bem os personagens, o cenário, estude cada sala, cada ambiente, busque referências externas, faça com que seus jogadores se sintam dentro desse cenário, e não se preocupe com você, nenhuma sessão é tão ruim que não possa ser melhorada, faça pequenas pausas, tome um suco, converse com os jogadores entre as sessões, com isso você vai vendo onde teve falhas e na próxima você acerta, e acima de tudo “DIVIRTA-SE”.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s