OPERA RPG: Sistema Nacional Genérico

OPERA é um sistema de RPG brasileiro genérico, criado por Leonardo A. de Andrade e Rogério M. Godoy a partir de 1996. Com fãs fiéis graças a sua flexibilidade de regras e ajuste de nível de realismo definido pelos jogadores. “OPERA” é, na verdade, uma sigla que significa “Observadores Perdidos em Realidades Alternativas”.

Seu livro básico possui suporte para construção de personagens, armas e armaduras, artes marciais, magia, psiquismo, super poderes e tecnologia. Além da grande diversidade de opções, o OPERA permite que o realismo seja ajustado de acordo com o estilo de jogo. Pode-se ter de uma abordagem realista e até a heróica, passando por diversas etapas intermediárias, tudo para garantir que o estilo de jogo seja “absorvido” pelo sistema de regras.

 

A construção do personagem é feita por meio de distribuição de pontos. Os Pontos de Atributos devem ser distribuidos entre os atributos principais (Físico, Destreza e Inteligência). Os atributos secundários (Vontade, Percepção, Mana, Mente e Sorte) são definidos de acordo com a raça do personagem e do cenário em que eles estão.

A partir dos valores dos atributos é possível determinar os Pontos de Criação, que o jogador pode comprar Características Favoravéis Físicas ou Psíquicas (conhecidas comumente em outros sistemas como “Vantagens”) e Habilidades (perícias Psíquicas, Físicas ou Bélicas). O personagem pode obter mais pontos de criação se assumir algumas Características Desfavoráveis (“Desvantagens”).

O Teste de Verificação é feito lançando-se 2d6, comparando o resultado com o valor do atributo. Se o valor for igual ou menor o teste é bem sucedido. Testes de Disputa são feitos entre dois ou mais personagens, lançando-se 2d6 para cada um e somando os atributos, aquele que tiver o maior número vencerá a disputa.

As Habilidades podem conceder bônus em testes que envolvam esse conhecimento específico, aumentando as chances nos testes. Outros bônus (e penalidades) dependem das Características (Favoráveis ou Desfavoráveis) do personagem, e outras circunstâncias (distância, visibilidade, área do alvo, etc).

OBS: Diversos netbooks, cenários e adaptações foram escritos para o OPERA RPG em parceria com colaboradores. Abaixo segue a imagem do suplemento baseado na Segunda Guerra Mundial, na Operação Overlord, e o desembarque das tropas aliadas na Normandia para a libertação da França (tema do Filme “O Resgate do Soldado Ryan”).

  • A maior parte da produção de material de OPERA RPG está na seção de Downloads do site RPG OPERA. Confira alguns links logo abaixo:
 
 

19 comentários sobre “OPERA RPG: Sistema Nacional Genérico

  1. Pingback: Tweets that mention OPERA RPG: Sistema Nacional Genérico - PARAGONS -- Topsy.com

  2. Sempre acompanhei e curti o OPERA. Aliás, dada a estrutura do sistema, sempre brinquei dizendo que era um verdadeiro “Mini-GURPS”, ou seja, parecido com o GURPS (genérico, d6, roll-under), mas mais enxuto (3 atributos ao invés de 4, 2d6 ao invés de 3d6, etc).

    Enfim, altamente recomendável!

    Obs.: essa comparação com o GURPS é pra ser entendida como elogio, ok!

  3. Orra véio! OPERA RPG é meu sistema favorito, curto pra caramba ele e recomendo =]

    Já narrei e adaptei tanta coisa, e sempre ficou muito bom, desde Low Fantasy até High. De espionagem moderna a WWII, show de bolice!

    Acertou novamente, Dark!

  4. Olá!
    Eu sempre quis testar o OPERA, mas há muitas coisas que ainda estão na minha lista de prioridades RPGísticas que nem consigo por pra frente. Vida complicada… XD

    Ótima postagem!
    Até and Bye…

  5. Está ai o melhor sistema Nacional que conheci! E posso dizer com orgulho que comprei todos os livros lançados para o sistema (até o Conspiração do Amanhecer do Telles (é o sistema é tão foda que comprei todos os livros que sai para os sistema…), que até é legal mas bem fino e está sem suporte a muito tempo…).

    Já joguei algumas vezes com a versão impressa do livro, agora mudou umas regras e parece que o sistema ficou ainda melhor!

    Meu único arrependimento é não ter convencido o pessoal a jogar o Mais Longo dos dias ou o 1887 – Sob o Sol do Novo México (velho Oeste), no lugar de supers, mas não posso reclamar a campanha foi muito fera!

  6. Cara eu tenho o Módulo Básico, Conspiração do Amanhecer, Sob o Sol do Novo México e Anel Elementa: A Nova Era. O sistema é realmente bom, sem contar que o módulo básico tem a melhor diagramção (no meu ponto de vista) que um rpg 100% nacional já recebeu, além da contra capa virar um escudo do mestre!

  7. Gosto muito do OPERA, que comprei alguns anos atrás no seu lançamento (autografado e tudo). Seu sistema genérico e simples é ótimo pra apresentar novos jogadores – namoradas, amigo(a)s que nunca jogaram, etc – pro mundo do rpg. Gosto muito da interface do livro e das ilustrações de capitulos. Só não acho que ele seja um bom jogo pra jogadores mais experientes, principalmente pros que vieram de uma escola GURPS.

    • Valeu pelo link Leonardo. Vou dar uma olhada mais atenta e comento por aqui.
      Mas já posso adiantar que o que vejo é mais uma mostra do comprometimento e imaginação do mestre/jogador brasileiro com o material nacional.
      Parabéns pelo livro e a todos pela continuidade no trabalho.

      Abráx.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s